Procuradores se revoltam com grave deslize de Mendes e desmascaram ministro

Procuradores se revoltam com grave deslize de Mendes e desmascaram ministro 

Mendes decidiu conceder um habeas corpus e soltar da cadeia o conhecido ”Rei do Ônibus”, Jacob Barata Filho, e Lélis Marcos Teixeira, ex-presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio de Janeiro, a Fetranspor.

 

Os procuradores do Ministério Público não gostaram nada da reação de Gilmar Mendes, e entendem que quem deveria ter se posicionado sobre o caso é o ministro Dias Toffoli.

 

As informações foram transmitidas pelo portal ”O Globo”.

 

Não é a primeira vez que Gilmar Mendes ”ajuda” Jacob Barata. Em todo o processo, o habeas corpus é o terceiro concedido por Gilmar.

 

A relação entre os dois seria de amizade, pois Gilmar foi padrinho de casamento da filha de Jacob em 2013.

 

No entanto, os procuradores afirmam que a decisão do TRF-2 não teria nenhuma relação com sentenças dadas pelo juiz federal  #Marcelo Bretas, e estariam sendo baseada em outros fatos.

 

Os procuradores reafirmam que no STF o prevento ficaria nas mãos de Dias Toffoli.

 

Procuradores afirmam que a decisão de Gilmar Mendes chegou de forma ”surpreendente”, pois o ministro teria ”passado por cima” de Toffoli e do ministro Felix Fischer.

 

Segundo a procuradora responsável por atuar na operação Cadeia Velha, Silvana Batini, a conclusão da reunião dos procuradores é de que a decisão precisa ser revista.